Início > Notícias > Prata da Casa: conheça Ana Paula Gualberto, assistente de projetos na FI

Prata da Casa: conheça Ana Paula Gualberto, assistente de projetos na FI

O Prata da Casa apresenta Ana Paula Gualberto, nossa assistente de projetos aqui na Fundação Iochpe.

É uma profissional que tem experiência de mais de dez anos como produtora cultural e também já atuou em outras organizações da sociedade civil e movimentos sociais (eixo de articulação e mobilização social). 

No mês que vem, Ana Paula completará um ano de Fundação Iochpe e, atualmente, é responsável pela sensibilização e mobilização de parceiros para implementação de projetos, atividades administrativas, acompanhamento de contratação de fornecedores, além de apoiar os jovens na realização dos novos projetos em desenvolvimento (Mentorare e eFormare).

Mas, a melhor e mais marcante forma de apresentar Ana Paula pode também ser assim: Ana Paula Gualberto, mamãe da Ana Elize, sua primeira filha que nasceu há poucos dias (18/07) e veio ao mundo cheia de saúde, linda e com um futuro incrível. Melhor, não é?

A mãe da Ana Elize, ops, a Ana Paula Gualberto é a nossa Prata da Casa de hoje!

Acesse as Redes Sociais da Fundação Iochpe e fique por dentro das principais notícias, além de conteúdos exclusivos: Linkedin: | Instagram: | Facebook: | YouTube:

Compartilhe nas redes sociais

Notícias relacionadas

Rolar para cima

Pesquisar

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Julia Saron

Formare Instituto Robert Bosch

“Sinto orgulho em ter feito parte desta família tão incrível, pois minha vida mudou e continua mudando, graças a esta chance que tive no Formare do Instituto Robert Bosch. Assim que concluí o curso, iniciei um técnico em Administração e hoje estou atuando como Aprendiz da ETS (Escola de Engenharia Técnica) aqui mesmo na Bosch. Está sendo uma experiência inovadora e revigorante, pois conquistei mais uma oportunidade na empresa que sempre almejei. Eu e meus colegas de turma tivemos o apoio incondicional dos educadores voluntários. Eles nunca focaram na competitividade e sim na proatividade e todos nós aprendemos juntos. É por isso que de uma coisa eu tenho certeza: o Formare muda vidas”

Pular para o conteúdo